sexta-feira, 26 de abril de 2013

JOSÉ AUGUSTO DE NORONHA

NASCIDO A 12 DE JANEIRO DE 1922 E FALECEU EM 22 DE OUTUBRO DE 1998. CASADO COM ISABEL NORONHA DE NORA (1924 - 01-4-98)

JOÃO DE DEUS FERREIRA PINTO

8 DE MARÇO DE 1892 A 17 DE FEVEREIRO DE 1978

VALTER GUERRA

12-08-1923 -11-9-2002 - FOTO -LAJEDO DE SOLEDADE (HISTÓTIA DE) UM POEMA DE PEDRAS, DE MARIA AUXILIADORA DA SILVA MAIA

RAIMUNDO PEREIRA DA SILVA

RAIMUNDO PEREIRA DA SILVA, conhecido popularmente por RAIMUNDO DE TIÃO LÚCIO,  natural de Apodi, nascido a 18 de agosto de 1938, filho de  Sebastião Lúcio da Silva (9/1/1914 – 4/12/1991), neto paterno de  Agostinho Lúcio da Silva e de Maria Petronila; e neto materno de Eugênia Pereira da Silva (12/12/1912 – 12/5/1992), filha de  Anastácio 0limpio Pereira (1/5/1880 – 28/4/1981) e Francisca Anastácio Pereira. Casou-se em 1965 com HELENA DOS SANTOS, natural de Jucurutu-RN, nascida a 6 de novembro de 1946, filha de MANOEL ESTEVÃO DA SILVA e de ALZIARA MARIA DA CONCEIÇÃO, com os seguintes filhos: ROBERTO HELLINKS DOS SANTOS SILVA, nascido a 16 de fevereiro de 1966; SANDRA SÂMARA DOS SANTOS SILVA, SÂMARA SÁTIRA DOS SANTOS SILVA e ROSALVO HARRISON DOS SANTOS SILVA.  Faleceu no dia 26 de setembro de 2010

quarta-feira, 27 de março de 2013

PADRE JONAS MAGNO PINTO


PADRE JONAS, natural de Apodi, nascido em 29 de agosto de 1918 e faleceu em Recife-PE aos 8 de abril de 1984, com 41 anos de salesiano e 31 anos de sacerdócio. Jonas 12º de 16 irmãos, filho de Miguel Ferreira Pinto e de Joana Magno Pinto, foi batizado na Matriz do Apodi em 16 de setembro de 1918 e 12 de agosto de 1920, com quase dois anos, apresentou-se para a Santa Crisma diante de Antonio dos Santos Cabral.
             Desde pequeninho, Jonas demonstrou tendência para o sacerdócio através da piedade simples e humilde. Com 21 anos, entrou no Aspirantado Salesiano de Jaboatão-PE, em 1939 e em 1942 fez o noviciado, professando na Congregação Salesiana aos 31 de janeiro de 1943.
             Cursou Filosofia no Instituto Filosófico Salesiano São João Bosco de Natal-RN, de 1943 a 1945.
             O tirocínio prático levou Jonas a conhecer a Amazonas e trabalhar durante os anos de 1946 a 1948 nos Seminários diocesanos de Manaus e Belém.
             Segue depois para Jaboatão onde fez a profissão perpétua em 31 de janeiro de 1949. Daí vai para São Paulo, no  Instituto Teológico Pio XI  -- onde concluiu os estudos seminarísticos com o curso teológico.
             Ao chegar Jonas ao Instituto Pio XI houve até um pitoresco. Naquele ano, era esperado na Casa um novo catequista. Jonas era gordo e já certa idade. E, com sua imponência, se sobressaia entre os jovens clérigos. E foi apresentado a todos como o novo padre catequista e assim fora cumprimentando a todos por muitos clérigos que saudavam beijando-lhe as mãos como acontecia naqueles tempos, e Jonas seriamente os aceitava.
             Recebeu a Ordenação Sacerdotal no dia 8 de setembro de 1952, das mãos do bispo Dom Paulo Rolim Laureiro.
             Depois de Padre, exerceu o Ministério Sacerdotal em várias comunidades.
             Foi Coordenador Pastoral (Catequista) de 1953 a 1959 em Baturité-CE.
             Desenvolveu com amor o Paroquisto em várias paróquias – 1960 a 1964 na Paróquia de Nazaré – Salvador-Bahia.
             Ficando na Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora em 1971 a 1976.
             Paróquia de São Gonçalo – Rio Grande do Norte, de 1979 a 1981.
             Exerceu o ministério de Diretor por duas vezes. Em 1965 a 1967 no Liceu de confessor e capelão do Colégio Nossa Senhora do Carmo das Irmãs Beneditinas.
TRAÇOS MARCANTES DE SUA PERSONALIDADE HUMANA.
             Padre Jonas era portador de registro do MEC, como professor de História e Geografia, matérias que ele dominava não só pelos conhecimentos teóricos, mas possuidor de uma memória espetacular.   Guardava das pessoas e fatos até os pormenores. Os alunos pendiam de seus lábios. Ele conhecia o Brasil, não só porque teve oportunidade através de seus estudos, mas também pelo interesse de conhecer.
             Pesquisador da História da Igreja e do Episcopado conhecia a história de cada um dos bispos, muitas vezes com detalhes.
             Fazer amigos era em Padre Jonas um dom natural. Gostava de conversado, tudo queria saber, indagava sempre novas notícias – por onde passava deixava amigos. Amigos que não o abandonaram até os últimos momentos, muitos destes sentiram sua morte como a de um irmão.
             Deixou em sua agenda particular, escrita de seu próprio punho, este pensamento: “A felicidade está sempre onde nós a pomos e nunca a pomos onde nós estamos”, mas sempre colocou sua felicidade onde estava, por isso deixou amigos autênticos por onde passou.
Diabético há mais de 25 anos, os últimos anos foram difíceis para ele. No dia 14 de julho de 1983, com dificuldade, participou da concelebração com o Reitor Mor por ocasião do Centenário da presença dos Salesianos no Brasil, no Santuário do Sagrado Coração de Jesus. No dia seguinte, baixou ao Hospital Tri-Centenário de Olinda, dos Franciscanos, e, assistido pelas irmãos hospitaleiras, ficando hospitalizado por mais de um mês. Quando submeteu a uma cirurgia no pé direito que, apesar de toda dedicação do Dr. Luciano, jamais cicatrizou. Voltando para casa, não mais assumiu compromissos apostólicos. Faleceu em Recife-Pe, a 8 de abril de 1984.

terça-feira, 12 de março de 2013

VÁLTER DE BRITO GUERRA


 Natural de APODI, nascido a l2-8-1923, filho de:CARLOS BARROMEU DE BRITO GUERRA e de  MARIA BEZERRA  GUERRA.Casou-se no dia 28-5-1928, com ANTONIA NAIR LOPES, pai de 9 filhos. Escreveu Vários livros, em sua maioria, sobre a Historio do município de Apodi.Considerado pelos apodiense com o Maior historiador  do Apodi. Faleceu em Sua terra natal, no dia  11 de setembro de 2 0 0 2.

JOSÉ LEITE


 Natural de APODI,nascido  a 2.5.1916,filho de Lino Leite e Francisca das Chagas Lima.Poeta dos bons.Seus Primeiros versos, dedicados à sua Filha mais velha, MARIA  JOSÉ. Escreveu contos, crônicas e ‘Causos’Pitorescos, além de um  trabalho Histórico sobre a ocupação de APODI, o desenvolvimento de MOSSORÓ, História do sal no RGN  e um dicionário sobre os Termos regionais. Faleceu em BRASÍLIA no dia 2 de abril de 1997, devido a um grave acidente registrado em 26 de março de 1997.

ROBSON LOPES



ROBSON LOPES, NATURAL DE APODI, NASCIDO A28. 8.1927, FILHO DE ANTONIO LOPES FILHO E ARMANDINA LOPES DE GOIS. CASOU-SE EM 12.4.1953, COM FRANCISCA PAIVA MELO LOPES, DESSE CONSÓRCIO NASCERAM UMA PROLE DE 5 FILHOS.FOI PROFESSOR, DO QUAL ERA UM PROFUNDO CONHECEDOR DE INGLÊS, SOBRE CUJO IDIOMA ESCREVEU UM LIVRO.Foi também grande desportista, sendo fundador do primeiro time de futebol registrado APODI, estou me referindo ao CENTRO ESPORTIVO APODIENSE, FUNDADO EM 1952. Bacharel em direito, pela UFPB, Núcleo de Sousa, turma de 1976. no dia 28.12.1991, DEIXAVA DE EXISTIR ROBSON LOPES, o intelectual e filósofo

JOÃO BATISTA GUERRA

 Natural de APODI-RN,Nascido a 6.12.1914, filho de CARLOS BARROMEU DE BRITO GUERRA e de MARIA BEZERRA GUERRA.Foi diretor de uma escola em Cruzeiro do Sul-ACRE, SECRETÁRIO do  Serviço de Administração Geral de RORAIMA, secretário Geral do então Território e atual Estado de RORAIMA, além dessas funções, Ele exerceu várias outras, porém, a principal, foi de Governador, Em substituição do Território de RORAIMA, isso no ano de l951, o que deu ao mesmo o título de primeiro e único Apodiense a exercer o cargo de governador, não de seu Estado, e sim de outro, no caso, o de  RORAIMA..Faleceu no dia 9.9.1974.
FONTE - MISTURA DE FRASES E PALAVRAS, DE VÁLTER DE BRITO GUERRA

RAIMUNDO JUVINO DE OLIVEIRA,



Natural de APODI, nascido a 28.4.1887 e faleceu em MOSSORÓ no dia 2.8. 1980. Adolescente ainda transferiu-se para MOSSORÓ, iniciando-se no comércio, Juntamente com seus irmãos, onde desenvolveu por longa data suas atividades de comerciante Industrial de fiação industrial no ramo de Fabricação de cigarros, indústria de fiação e tecelagem, de óleos comestíveis e representações. Foi prefeito nomeado de MOSSORÓ no período de 1.11.1932 a 21.9.1933.

LUÍS COLOMBO FERREIRA PINTO


 Natural de APODI, nascido a 9.7.1872, filho do Cel ANTONIO FERREIRA PINTO. Foi chefe político de MOSSORÓ.com O falecimento de RODOLFO FERNANDES em 11.10.1927, ele  foi eleito e empossado para ocupar a vaga deixada pelo falecimento do titular.Faleceu na minha querida e Amada cidade de MOSSORÓ a 18.9.1953.

segunda-feira, 11 de março de 2013

JOSÉ FERREIRA FILHO

NATURAL DE APODI-RN, NASCIDO A 22 DE SETEMBRO DE 1923 E FALECEU EM 9 DE ABRIL DE 1980

SEBASTIÃO GURGEL PINTO

Natural de Apodi, nascido no dia primeiro de setembro de 1930 e faleceu em NATAL EM 18 DE DEZEMBRO DE 1992. Filho de Rubens Correia Pinto e de Maria das Mercês Gurgel. Casado com FRANCISCA GURGEL PINTO. Trabalhou na Guarada Municipal de Natal por mais de 30 anos.

quarta-feira, 6 de março de 2013

ELIAS MONTEIRO CAVALCANTE


–  Nascido em 12 de abril de 1912 e falecido em 24 de novembro de 1997, casado com Francisca Diógenes de Oliveira , natural de Apodi, nascida em 18 de agosto de 1918 e falecida em 7 de dezembro de 1994, filha de João Diógenes de Carvalho e de Libânia Maria de Carvalho, com os seguintes filhos: RAIMUNDO DE OLIVEIRA MONTEIRO, JOÃO BATISTA, MANOEL MONTEIRO,este pai do professor Flaviano Monteiro;atual prefeito de Apodi, eleito no dia 7 de outubro de 2012, JOSÉ MONTEIRO, ANTONIA ABGAIL B. DE SOUZA, casada com o ex-vereador ANTONIO DE SOUZA MAIA, MARIA LOURDES, MARIA DO SOCORRO, MARIA AUXILIADOARA, MARIA DAS GRAÇAS, MARIA DILMA e MARIA DA CONCEIÇÃO, nascida em Apodi, casada  com Francisco Pinto de Carvalho, vulgo “CHICO DE DEUSINHO”, natural de Apodi, nascido em 1º de setembro de 1949, filho de Francisco Pinto de Carvalho e de Maria Angélica de Oliveira, com os seguintes filhos: FRANCISCO Flávio Monteiro de Carvalho, Raimundo Fabiano Monteiro de Carvalho, Francisca Fabiana Monteiro de Carvalho  e Fabiano Monteiro de Carvalho

BENEDITO JOSÉ DE MORAIS


BENEDITO JOSÉ DE MORAIS, natural de Apodi, nascido em 23 de março de 1923, filho de José Gomes de Morais, este filho de José Severo de Morais e de Caçula Cordeiro  da Conceição; e de Isolina Maria Soares, esta filho de Delfino Duarte e de América Gomes Duarte. Casou-se em 1939 com Iracina de Oliveira Rodrigues, com os seguintes filhos: BENEDITO DUARTE DE MORAIS, VOILCIMAR DUARTE DE MORAIS, VERA DUARTE DE MORAIS, FRANCISCO DUARTE NETO. Casou-se em segundas núpcias com ANTONIA MARIA DE BRITO, natural de Caraúbas.

DOMINGOS FREIRE DE FREITAS


DOMINGOS FREIRE DE FREITAS, natural de Apodi, nascido  em 15/9/1899 e falecido em 7/6/1989, filho de Pedro Advincula Freire Silveira e de Querobinda Balbina de Freitas, casado com Adolphina Cândida Dias, natural de Apodi, nascida em 18/10/1903 e falecida em  27/4/1997, filha de Hermínio Tolentino Alves de Oliveira e de Petronila Pastora do Patrocínio, com os seguintes filhos: ALAIRIS DIAS DE FREITAS, conhecido popularmente por Lalá, natural de Apodi, nascido em 13 de novembro de 1934, casou-se em 31 de janeiro de 1958, com Sebastiana Moreira de Lima, natural de Apodi, nascida em 14 de março de 1934, filha de  Antonio Moreira Maia e de Maria Sinforosa de Lima, com os seguintes filhos: JOSÉ MARIA MOREIRA DE FREITAS, nascido em 1º de dezembro de 1958; JOSÉ HUMBERTO MOREIRA DE FREITAS, nascido em 19 de abril de 1962;MARIA LUCI MOREIRA DE FREITAS, nascida em 17 de outubro de 1964; MARIA LÚCIA DE FÁTIMA MOREIRA DE FREITAS, nascida em 13 de junho de 1968; JOSÉ ANTONIO MOREIRA DE FREITAS, nascido em 5 de junho de 1972; e JOSÉ ROBERTO MOREIRA DE FREITAS, nascido em 7 de março de 19601 e falecido com apenas 6 meses de idade.

TIBURCIO VALERIANO GURGEL DO AMARAL

 Natural de Apodi, nascido em 14 de abril de 1843 e falecido em 10 de fevereiro de 1933. Casado com Caetana Jesuína do Amaral, com os seguintes filhos: MARIA GURGEL GEURRA, nascida em 1880 e falecida em 3 de fevereiro de 1921, casada com Luiz Gonzaga de Brito Guerra; TILON GURGEL DO AMARAL, nascido em 7 de janeiro de 1881 e falecido em 23 de julho de 1968. CORONEL ANTONIO GURGEL DO AMARAL, nascido em 1872 e falecido em 4 de fevereiro de 1950, casado com Adélia da Silva Gurgel (12/10/1869 – 4/5/1951); MARIA GURGEL DO AMARAL, casou-se em 23 de fevereiro de 1891, com Felipe Néri de Brito Guerra (26/5/1867 – 4/5/1951); TIBURCIO GURGEL FILHO, nascido em 22 de outubro de 1883 e falecido em 8 de junho de 1930; CAETANA GURGEL DO AMARAL, nascida em 22 de setembro de 1876 e falecida em 2 de julho de 1958.

ANTONIO DE SOUZA MAIA


 Nascido no sítio Poço Verde, município de Apodi, nascido em 19 de junho de 1934, filho de Joaquim Batista da Costa (nascido em 06/02/1901) e de Maria Casemira de Souza, casou-se em  29 de maio de 1962, com ANTONIA ABGAIL BARRA DE SOUZA, natural de Apodi, nascida em 1º de abril de 1943, filha de  Elias Monteiro Cavalcante (12/04/1912 – 24/11/1997) e de Francisca Diógenes  de Oliveira, natural de Caraúbas (18/8/1918 – 07/12/1994), com os seguintes filhos: I ANTONIO DE SOUZA MAIA JÚNIOR, nascido em 24 de abril de 1966, casado com Maria Aparecida de Oliveira Morais Souza, natural de Apodi, nascida em 28 de agosto de 1969; JOÃO ELIAS MONTEIRO DE SOUZA, nascido em 26 de julho de 1980; MARIA GERCIONE DE SOUZA MONTEIRO, nascida em 14 de agosto de 1975, divorciada; MARIA GRENUBIA DE SOUZA MONTEIRO, nascida em 22 de agosto de 1977; MARIA GENUZIA DE SOUZA MONTEIRO, nascida em 14 de agosto de 1974, casada com Isaias Gomes de Medeiros, natural de Apodi, nascido em 15 de  fevereiro de 1982; ANTONIA GILMAR DE SOUZA MONTEIRO PINTO, nascido em 28 de junho de 1968, casada com Jorge Luiz de Oliveira Pinto; JULIANA JAMILLY BARRA DE SOUZA, nascida em 18 de janeiro de 1987; MARIA DA GLÓRIA DE SOUZA MONTEIRO, nascida em 24 de dezembro de 1982; MARIA GILZA DE SOUZA MONTEIRO SILKVA, nascida em 28 de maio de 1967, casada com George Francisco da Silva; MARIA GINALDA SOUZA MONTEIRO, nascida em 6 de março de 1976; MANOEL GILVAN DE SOUZA MONTEIRO, nascido 30 de outubro de 1983; FRANCISCO MONTEIRO DE SOUZA, nascido em 19 de abril de 1965; JOSÉ JAEDSON DE SOUZA MONTEIRO, nascido em 12 de agosto de 1979 e falecido em 30 de julho de 2002; e ANTONIO GILVAN DE SOUZA MONTEIRO, nascido em 26 de agosto de 1970 e falecido em 27 de novembro de 1986.

FRANCISCO JOAQUIM DE SALES


Francisco Joaquim de Sales, natural de Apodi, nascido em 23 de novembro de 1914 e falecido em 7 de dezembro de 1987, filho de  Manoel Galvão Neto e de  Maria da Conceição, casado com Raimunda Ferreira de Sales, natural de Apodi, nascida em 1 de maio de 1918, filha de  Damião Ferreira Cavalcante e de Mônica Ferreira Cavalcante, com os seguintes filhos: MURILIO FERREIRA DE SALES, nascido em 1º de abril de 1947; MARINALVA FERREIRA DE SALES REGO, nascida em 30 de abril de 1940; MARINETE PINHEIRO DE FRANÇA, nascida em 1º de maio de 1943, casada com Raimundo Pinheiro de França, natural de Apodi, nascido em 23 de novembro de 1923, filho de Luiz Pinheiro e de Maria Sebastiana da Conceição; MAURÍLIO FERREIRA DE SALES, nascido em 10 de abril de  1941, LUIZ FERREIRA SALES, MARINALVA FERREIRA DE SALES, MARILENE FERREIRA DE SALES REGO,  ex-esposa do Dr. José de Albuquerque Rego, natural de Apodi, nascido em  3 de janeiro de 1952, filho de José Albuquerque Rego e de Guiomar de Albuquerque Rego; MARIA FERREIRA DE SALES e SOUZA, nascida em 4 de maio de 1949; MOZART FERREIRA DE SALES, nascido em 25 de outubro de 1960, MILTON FERREIRA DE SALES, nascido em 6 de junho de 1955, casou-se em  14 de junho de 1975, com Edna Carvalho de Morais e Sales; MAURA FERREIRA DE SALES E SOUZA, nascida em 4 de maio de 1949, casada com Paulo Néri de Souza, natural de Apodi, nascido em 19 de dezembro de 1947, filho de Felipe Néri de Souza e de Francisca Dantas de Souza; e RAIMUNDA FERREIRA DE SALES, nascida em  5 de outubro de 1962, casada com Tarcísio Freire, natural de Apodi, filho  Francisco Paulo Freire e de Benedita Ferreira Freire.

JOÃO JOSÉ DE PAIVA


   JOÃO JOSÉ DE PAIVA, natural de Severiano Melo, nascido a 13 de fevereiro de 1925, filho de Manoel José de Paiva e de  dona Sinfrorosa Gomes de Paiva. José Paiva no ano de 1958 viajou para o Estado do Pará onde passou 4 amos naquela federação, retornando a sua terra natal em 1962, trazendo para esta cidade a Congregação Cristã do Brasil e aqui implantou essa religião no dia 11 de junho de 1962,  juntamente com sua esposa, dona Maria da Conceição Melo (2/10/1925 – 4/9/1997), filha de Francisco Severiano de Melo e de3 Raimunda Gomes de Carvalho. Esse casal passou 17 anos fazendo cultos em sua residência, quando eles e mais três famílias, além de ajudas vindas de outros estados, ergueram a igreja da Congregação Cristã do Brasil, localizada na Rua Batista Melo,  inaugurada em 19 de setembro de 1989.

LINDOLFO NORONHA SOBRINHO

            LINDOLFO NORONHA SOBRINHO, nascido no povoado de Malhada Vermelha, no município de Severiano Melo, no dia 8 de dezembro de 1937, filho de  Ambrósio Celso de Noronha e de Amélia Barbosa. Casado com  Helena Gomes Noronha, natural de Apodi, nascida em 7 de julho de 1942, filha de Sebastião Rodrigues 923/12/1910 – 6/5/1993)  e de Maria Apolônia de 0liveira. Pai dos seguintes filhos: NÚBIA MARIA GOMES NORONHA, nascida em 3 de março de 1966; VANUSIA MARIA GOMES NORONHA, nascida em 23 de setembro de 1968; JEAN CARLOS GOMES DE NORONHA, nascido em 5 de janeiro de 1974, LILIA MARIA GOMES NORONHA, nascida em 27 de abril de 1976; e JOSÉ FERNANDES GOMES NORONHA, nascido em 20 de dezembro de 1977. Lindolfo Noronha exerceu o mandato de vereador no município de Severiano Melo, eleito em 15 de novembro de 1992

ANTONIO ROCHA FILHO


   ANTONIO ROCHA FILHO, natural de Severiano Melo, nascido em 29 de julho de 1940, filho de Antonio Ferreira da Rocha e de Raimunda Ferreira de Melo. Casado com Maria Torres Rocha. Foi vereador em sua terra natal em diversos mandatos.

MANOEL MONTEIRO DE OLIVEIRA


   MANOEL MONTEIRO DE OLIVEIRA, vulgo ‘MANU’, nascido no povoado de Boa Vista, município de Severiano Melo, no dia 9 de março de 1927, filho de Luiz Monteiro Cavalcante, nascido em 1910 e falecido em 13 de novembro de 1971 e de  0zana Abgail de 0liveira. Era casado com Genilda Célia de Carvalho, natural de Apodi, filha de Delfino Herculano de Carvalho (10/3/1910), filho de Antonio Herculano de 0liveira e de  Maria Joaquina do Rego; e de  Rita Joaquina de Carvalho, com os seguintes filhos: FRANCISCO ANTONIO MONTEIRO, MARIA DE FÁTIMA CARVALHO, ANTONIO MONTEIRO DE CARVALHO, RAIMUNDO MONTEIRO DE CARVALHO, RUBERLÂNDIA MONTEIRO DE CARVALHO e ROSEMBERG MONTEIRO DE CARVALHO.
   Seu Manu ingressou na política no ano de 1962, quando no pleito eleitoral daquele ano foi eleito vereador pelo município de Itaú, e no ano de 1976 foi eleito edil pela Câmara Municipal de Severiano Melo. Faleceu na povoação de Boa Vista no dia 6 de agosto de 2002.

CLETO NEVES BARBALHO


CLETO NEVES BARBALHO, natural de Severiano Melo, nascido em 26 de abril de 1929, filho de Tancredo Barbalho de Carvalho e de  Rita Batista Nunes, Casado com Maura Maria da Conceição, natural de Severiano Melo, nascida em 3 de fevereiro de 1936, filha de  Carlos Anísio da Silva e de Maria Sátira da Conceição. Era pai de dois filhos: FRANCISCO AIRINILDES NEVES, nascido em 7 de agosto de 1962; e MARIA LUZINETE NEVES MAIA, nascida em 30 de julho de 1969.
   Cleto nunca se elegeu para nenhum cargo político, porém, no pleito eleitoral de 15 de novembro de 1972, o mesmo galgou a primeira suplência de edil, tendo assumido o mandato de vereador em 31 de maio de 1975, na vaga do titular Francisco de Holanda Melo, vulgo ‘TETA MELO’, que nessa data renunciou o cargo de vereador por não mais desejar continuar na política.
   Cleto faleceu no dia 23 de setembro de 1994.

ANDRÉ NUNES DE AZEVEDO


   ANDRÉ NUNES DE AZEVEDO, natural de Apodi, nascido no povoado de Santo Antônio, no dia 4 de fevereiro de 1928, filho de  Etefânio Nunes de Azevedo (16/1/1901 – 30/9/1969), filho de Camilo Nunes de Azevedo e de Maria Colela de 0liveira; e de Aurélia Fernandes de 0liveira. André atualmente reside na Vila de Santo Antônio, no município de Severiano Melo. Foi vereador no período de 1977 a 1983.

UDSON MAIA BARRETO


   UDSON MAIA BARRETO, natural de Itaú, nascido em 5 de outubro de 1943, filho de Cândido de Albuquerque Barreto e de Antonia Maria Maia Barreto. Era casado com Francisca Mauricy Barreto de 0liveira, nascida em 6 de março de 1947, filha de Severino Paulino de 0liveira e de Maria de 0liveira Pinto. Pai dos seguintes filhos: CELIA MARIA BARRETO, nascida em 10 de fevereiro de 1967;  CLÁUDIA MARIA DE OLIVEIRA BARRETO, nascida em 25 de maio de 1970; e JOSÉ CARLOS MELO BARRETO, nascido em 2 de julho de 1977. Udson exerceu o cargo de vereador no período de 1973 a 1977. Faleceu em 22 de setembro de 2000.

ANTONIO LUCAS DE FREITAS

ANTONIO LUCAS DE FREITAS, natural de Itaú, nascida a 11 de setembro de 1921, filho de João Luiz de Freitas e de Herculana Régis de 0liveira (1881 – 13/8/1970), filha de Francisco Herculano de 0liveira e de Mariana Régis de 0liveira. Era casado com Guiomar Freitas Rego, natural de Portalegre-RN, nascida em 31 de janeiro de 1921, filha de Geraldo do Rego Leite e de Maria de Freitas Rego. Pai dos seguintes filhos: ANTONIA DA SALETE DE FREITAS HOLANDA, natural de Severiano Melo, nascida em 23 de setembro de 1948, casada com Bevenuto Melo Holanda Neto; FRANCISCA DE ASSIS FREITAS, nascida em 16 de março de 1945, casada com Mário Noel Lemogruber, nascido em 24 de dezembro de 1928; MARIA QUITÉRIA DE FREITAS MELO, nascida em 16 de junho de 1951, casada com Geraldo de Freitas Melo, nascido em 24 de setembro de 1942, filho de João Severiano de Melo e de Francisca de Freitas Melo. Antonio Lucas foi vereador na cidade de Severiano Melo, eleito em 24 de janeiro de 1965 e reeleito em 15 de novembro de 1969. Faleceu no dia 26 de fevereiro de 1992.

MANOEL NOGUEIRA DE QUEIROZ


MANOEL NOGUEIRA DE QUEIROZ, natural de Severiano Melo, nascido em 16 de outubro de 1924, filho de JÚLIO Pessoa Lins e de  Balbina Maria  Lins. Casado com Maria de 0liveira Souza, natural de Severiano Melo, nascida em 16 de novembro de 1923, e falecida em 3 de março de 2002 filha de Alexandre Manoel de 0liveira e de Nicarona Souza Rego. Pai dos seguintes filhos: MARIA NIZETE DE ABREU, MARIA DE LOURDES DE SOUZA QUEIROZ, ADAELCIO DE SOUZA OLIVEIRA, nascido em 9 de julho de 1954; ANTONIA MARIA DE OLIVEIRA, vulgo “Áurea”, nascida em 19 de fevereiro de 1960; FRANCISCO NOGUEIRA DE OLIVEIRA, vulgo ‘Souza’; e ELIAS NOGUEIRA DE OLIVEIRA, nascido em 20 de maio de 1958. Manoel Nogueira exerceu mandato de vereador na cidade de Severiano Melo, eleito em 24 de janeiro de 1965. Atualmente reside no Estado do Paraná.

EUDOXIO BARBOSA DE LIMA

EUDOXIO BARBOSA DE LIMA, natural de Apodi, nascido mas precisamente no sítio Boa Vista no dia  10 de maio de 1925, filho de Antonio Barbosa de Lima e de Maria Marcelina da Conceição. Casado com Francisca Gomes de Carvalho, dona Santinha, filha de Pedro Ferreira de Carvalho e de Maria Gomes de 0liveira. Eudoxio exerceu o mandato de vereador na cidade de Severiano Melo, eleito em 24 de janeiro de 1965. Faleceu no dia 2 de maio de 1984.

VERÍSSIMO SOARES DA SILVA


VERÍSSIMO SOARES DA SILVA, natural de Campo Grande-RN, nascido em  1 de outubro de 1928, filho de José Delfino da Silva e de Braula Soares da Silva.  Casado com Antonia Gomes de Macedo, natural de Severiano Melo, nascida em 1º de janeiro de 1929, filha de Marcelo José de Macedo e de Maria Joaquina da Conceição, Pai dos seguintes filhos:  MARIA DO SOCORRO SOARES, MARIA DAS GRAÇAS SOARES DE OLIVEIRA, MARIA DE FÁTIMA SOARES DE OLIVEIRA, MARIA MAGNA SOARES, TEÓFILO SOARES DA SILVA, LUIZ MAGNO SOARES, WILDO SOARES DA SILVA e FRANCISCO SOARES DA SILVA;
   Veríssimo exerceu o mandato de vereador em 4 legislaturas, eleito em 24 de janeiro d 1965, 15 de novembro de 1969, 15 de novembro de 1972 e 15 de novembro de 1976. Presidiu a Câmara Municipal no período de 1º de abril de 1975 a 31 de janeiro de 1977. Faleceu em Severiano Melo no dia 14 de julho de 1994.

SEBASTIÃO RODRIGUES


SEBASTIÃO RODRIGUES, nascido no povoado de Malhada Vermelha, município de Apodi no dia 23 de dezembro de 1910, filho de Luiz Rodrigues de França e de Maria Josefina de 0liveira. Era casado com  Maria Apolônia de 0liveira, nascida a 10 de abril de 1916, hoje ainda viva com mais de 90 anos de idade, filha de Jázimo Gomes Pinto e de Francisca Apolônia de 0liveira. Desse consórcio nasceram os seguintes filhos: MARIA NECI DE OLIVEIRA, nascida em 4 de junho de 1937; FRANCISCO SALES de oliveira, nascido em 29 de janeiro de 1940  e falecido em 24 de maio de 1964; HELENA GOMES NORONHA, nascida em 7 de julho de 1942; JOÃO GOMES DE OLIVEIRA, nascido em 22 de setembro de 1944; LUIZ GOMES DE OLIVEIRA, nascido em 19 de março de 1946; LÁZARO GOMES DE OLIVEIRA, nascido em 9 de julho de 1946; GERALDO GOMES DE OLIVEIRA, nascido em 11 de julho de 1951; MARIA IRENE DE OLIVEIRA, nascida em 4 de abril de 1952 e falecida em 26 de julho de 1995; e JOÃO BOSCO DE OLIVEIRA.
   Sebastião Rodrigues foi eleito vereador no primeiro pleito eleitoral municipal realizado no município de  Itaú realizado em 1954, posteriormente transferiu seu domicílio eleitoral para o município de Severiano Melo  do qual fora eleito para o mandato de vereador na eleição de 15 de novembro de 1972. Faleceu no dia 6 de maio de 1993.

RIVADÁVIA HOLANDA CAVALCANTE

RIVADÁVIA HOLANDA CAVALCANTE, nasceu no Casarão da Fazenda Passagem Limpa, na época  situada no município de Apodi, e hoje, no de Severiano Melo, em  20 de julho de 1915, filho de  Bevenuto Holanda Cavalcante e de Laurinda Holanda Cavalcante. Foi vereador pelo município de Itaú, eleito em 3 de outubro de 1954. Foi um dos primeiros vereadores do recém-criado município de Severiano Melo, eleito em 24 de janeiro de 1965. Casado com Jovina Holanda Cavalcante ( 12/10/1913 -11/10/2004).

NILO FERREIRA PINTO


   NILO FERREIRA PINTO, nasceu na povoação de Malhada Vermelha, município de Severiano Melo no dia 22 de março de 1925, filho de Raimundo Ferreira e de Raimundo de 0liveira Melo. Era casado com Aretuza Barreto Pinto, natural de Apodi, nascida em 23 de março de 1939, filha de Cândido de Albuquerque Barreto e de Antonia Maria Maia Barreto. Nilo Ferreira foi eleito vereador pelo município de Itaú no dia 3 de outubro de 1962.  Faleceu no dia 21 de fevereiro de 1997.

FRANCISCO DE HOLANDA MELO


   Vulgo ‘NENEM HOLANDA’, nasceu no casarão da Fazenda Passagem Limpa, à época no município de Apodi, hoje no de Severiano Melo, nascido em 8 de novembro de 1918, filho de Bevenuto Holanda Cavalcante e de Laurinda Holanda Cavalcante. Casou-se em 31 de outubro de 1954, com Maria do Carmo Holanda, natural de Apodi, nascida em  21 de julho de 1927, filha de Inácio Gabriel Maia e de Alzira Magna Maia. Foi o segundo prefeito constitucional de Apodi, eleito em 21 de março de 1948 e tomou posse em 31 de abril de 1948, juntamente com seu companheiro de chapa, na pessoa de Antonio Lopes Filho, que governaram o Apodi até 31 de março de l953.  Foi o primeiro prefeito constitucional, eleito em 3 de outubro de 1954, juntamente com seu companheiro de chapa o saudoso Rui Bessa Nunes.
   Neném Holanda abaixo de Deus, no Apodi e região, não tinha outro, ele salvava. Essa é uma frase corriqueira na camada mais humildes  da população apodiense, que define muito bem o que bem o farmacêutico Francisco Holanda Cavalcante representava para o povo de Apodi. Ele foi um dos poucos exemplos de que o poder nem sempre é capaz de transformar as pessoas. Neném Holanda também foi candidato a deputado estadual, fato que poucos apodienses, itauenses e severianenses sabem, tamanha era a sua descrição.

FRANCISCO DE HOLANDA MELO


   Vulgo ‘MILTON HOLANDA’, natural de Severiano Melo, nascido em 6 de agosto de 1936, filho de Pedro Gomes de Melo (Pedro de Elpídio) e de Nair Holanda. Era casado com Salustina Holanda Nunes, natural de Severiano Melo, nascida em 9 de dezembro de 1934, filha de João Elesbão de Freitas e de Maria Isalta de Holanda. Milton, como era carinhosamente chamado foi vereador em Severiano Melo em três legislaturas; Eleito nos seguintes pleitos eleitorais: 24 de janeiro de 1965, 15 de novembro de 1969 e 15 de novembro de 1972. Faleceu no dia 22 de agosto de 1980, com apenas 44 anos de idade.

JOAQUIM LOURENÇO MAIA



   JOAQUIM LOURENÇO MAIA, natural de Severiano Melo-RN, nascido em 8 de janeiro de 1925, filho de José Antonio Fernandes e de Sebastiana Leopoldina de Souza, Casou-se em 20 de novembro de 1964, com Francisca Francinete de Paiva, nascida em 1º de março de 1938, filha de Abel Gomes de Paiva, nascido em 18 de novembro de 1906, hoje com mais de 100 anos de idade, filho de  Joaquim Gomes de Paiva e de  Maria Sidrona de 0liveira; e de Leonilda Régis de Paiva, filha de Raimundo Cavalcante Regis e de Leonila Regis de Paiva de Paiva. Pai dos seguintes filhos: Maria Licicleide de Paiva Maia, nascida em a 11 de setembro de 1965; José Fernandes de Paiva, nascido em 17 de setembro de 1966; Leonila Regis de Paiva, nascido em 4 de setembro de 1967; Manoel Fernandes de Paiva, nascido em 10 de março de 1969; Leonila Regis de Paiva, nascida em a 4 de dezembro de 1967 e Francisco Leomar de Paiva Maia, nascido em 11 de abril de 1970.
   Joaquim Maia foi eleito vereador em Severiano Melo em duas legislaturas: 1965/69 e 1970/1973

JOÃO SEVERIANO DE MELO


   JOÃO SEVERIANO DE MELO, natural de Apodi, nascido a 16 de outubro de 1914 e falecido em 16 de fevereiro de 1996, filho de Severiano Régis de Melo e de Joana Maria Régis de Melo. Era casado com Francisca de Freitas Melo (Dona Tiquinha), natural de Portalegre-RN, nascida a 02/04/1925, filha de Francisco Freitas Nobre e de Adelaide de Paiva Freitas. João Severiano exerceu o mandato de vereador pelo município de Itaú, eleito em 3 de outubro de 1959 e  exerceu o mandato de vice-prefeito de Severiano, eleito em 15 de novembro de 1969. Pai do primeiro prefeito de Severiano Melo, Geraldo de Freitas Melo e do saudoso prefeito Genildo Melo.

BEVENUTO MELO HOLANDA NETO


      BEVENUTO  NETO, conhecido popularmente pela alcunha de “BEVÉ’, natural de Severiano Melo, nascido a 20 de março de 1958, filho de  Sebastião da Costa Melo 913/4/1918 – 23/12/1999) e de  Maria Holanda Cavalcante (11/2/1920 – 5/5/1991), filha de Bevenuto de Holanda Cavalcante e de Laurinda Holanda Cavalcante. Bevé casou-se em 26 de dezembro de 1970, com ANTONIA DA SALETE DE FREITAS E HOLANDA, natural de Apodi, nascida a 23 de setembro de 1948, filha de Antonio Lucas de Freitas e de Guiomar de Freitas Rego. Pai de dois filhos: MARCOS AURÉLIO FREITAS E HOLANDA, nascido a 12 de outubro de 1971 e MÁRCIA AURÍLIA FREITAS E HOLANDA, nascida a 19 de dezembro de 1982. Bevé foi prefeito de sua terra natal em dois períodos, eleito em 15 de novembro de 1969 e em 15 de novembro de 1976.

RUI BESSA NUNES


      RUI BESSA NUNES, natural de Itaú-RN, nascido a 01/07/1913, filho de Cleofas de Souza Nunes (23/10/1894 – 26/05/1952) e de Amélia Leopoldina Fernandes Bessa (02/07/1897 – 03/06/1933). Casado com Epanina Nunes, natural de Itaú-RN, filha de Francisco Nunes dos Reis e de Maria Cordeiro Nunes dos Reis. Pai de um filho adotivo de nome César Augusto dos Reis Nunes.
            Rui Bessa, funcionário público, ingressou na política no ano de 1954,  quando nas eleições de 3 de outubro daquele ano se elegeu como primeiro vice-prefeito do município de Itaú, na chapa encabeçada por Francisco Holanda Cavalcante (NENEM HOLANDA). Ele assumiu a presidência da Câmara Municipal de Itaú. Nas eleições de 1959, Rui Bessa se elegeu prefeito de Itaú, do qual teve como companheiro de administração o senhor João Batista Fernandes. Continuando sua longa atividade política, Rui Bessa no ano de 1964 mudou de domicílio eleitoral, transferindo seu título eleitoral para o novo município de Severiano Melo e, em 24 de janeiro de 1965 foi eleito o primeiro prefeito constitucional desta terra. Em 15 de outubro de 1988 foi novamente eleito prefeito de Itaú, juntamente com seu vice-prefeito, na pessoa do senhor Francisco Brito de Medeiros (TITICO  MARCHANTE). No setor social, Rui Bessa presidiu a Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e a Infância de Itaú-APAMI, fundada em 30 de abril de 1957 e o ACRI-Associação Cultural e Recreativa Itauense, quando foi um dos promotores dos famosos carnavais “fantásticos” do Itaú. Faleceu às 18 horas do dia 4 de agosto de 1995 (sexta-feira), na Casa de Saúde “São Lucas”, em Natal, vítima de câncer. O sepultamento registrou-se no dia seguinte, às 11 horas, no Cemitério “Morada da Paz”, em Itaú, com acompanhamento de um grande número de prefeitos da região 0este, políticos e amigos

Dr. LEÕNIDAS FERREIRA DE PAULA


      Dr. LEÕNIDAS , nascido em 20 de fevereiro de 1935, na povoação de Malhada Vermelha, na época encravado no município de Apodi e posteriormente no de Itaú e atualmente, no de Severiano Melo, filho de Francisco Ferreira Pinto e de Francisca Noronha. Formado em medicina pela UFRN. Foi deputado estadual e secretário de Saúde nas administrações dos ex-governadores Lavoisier Maia e José Agripino.

ANTONIO LUIZ DE ALMEIDA


   ANTONIO LUIZ DE ALMEIDA, vulgo “ANTONIO BELINO”, natural de Apodi, nascido em 13 de junho de 1935, filho de Luiz Belo de Almeida e de Maria de Jesus da Conceição. Proprietário de todas as terras da região de Santo Antonio, o qual foi o responsável pela construção da primeira casa de alvenaria naquele sítio, inaugurada em 16 de outubro de 1955.

PEDRO MARTINS DA COSTA


   PEDRO MARTINS DA COSTA, natural de Apodi, nascido em 7 de outubro de 1898 e falecido em 29 de novembro de 1969, filho de Manoel Martins da Costa e de Maria Cólera de Oliveira. É patrono de uma rua em Santo Antônio.

MANOEL CELSO DE OLIVEIRA



   MANOEL CELSO DE OLIVEIRA, natural de Apodi, nascido em 5 de março de 1898 e falecido em 17 de fevereiro de 1972, filho de Joaquim Sergio de Oliveira e de Maria Gadelha da Conceição. É patrona de uma rua em Santo Antonio.

ESTEFÂNIO NUNES DE AZEVEDO

ESTEFÂNIO NUNES DE AZEVEDO, natural de Apodi, nascido em 16 de janeiro de 1901 e falecido em 30 de novembro de 1969, filho de Camilo Nunes de Azevedo e de Andrelina Natalina de Almeida. Era casado com Aurélia Fernandes de Oliveira. É patrona de uma rua em Santo Antônio.

JOÃO ELESBÃO DE FREITAS

JOÃO ELESBÃO DE FREITAS, vulgo “CARNEIRO”, natural de Apodi, nascido em 27 de outubro de 1910 e falecido em 23 de março de 1988, filho de Francisco Freitas Nunes e de Antonia Nunes de Freitas. Era casado com Maria Isalta de Holanda. É PATRONO DE UMA RUA NA POVOAÇÃO DE Santo Antônio.

AMÉRICO HOLANDA CAVALCANTE


   AMÉRICO HOLANDA CAVALCANTE, nasceu no sítio Passagem Limpa, município de Apodi-RN, no dia 24 de outubro de 1881 e falecido em 5 de maio de 1954, filho de  Antonio Holanda Cavalcante e de  Amélia de Holanda Cavalcante. É patrono da Escola Estadual Américo Holanda, com sede na povoação de Santo Antonio, município de Severiano Melo, criada em no ano de 1965, com denominada de Escola Isolada Quebradas, cuja atual denominação se verificou  no ano de 1968.

FRANCISCO FERREIRA SOBRINHO


 SOBRINHO FERREIRA, nasceu na povoação de Malhada Vermelha, município de Apodi, no dia 9 de julho de 1932, filho de Raimundo Ferreira e de Raimunda Ferreira Melo. Casou-se em primeiras núpcias com Maria de Lourdes Gomes Ferreira, matrimônio realizado em 2 de agosto de 1955. Ela nascida em 10 de dezembro de 1935 e falecida em 29 de julho de 1966. Desse consórcio nasceram os seguintes filhos: 1 – FRANCISCO GOMES XAVIER, nascido em 6 de abril de 1956;2 – FERNANDO FLÁVIO GOMES FERREIRA, nascido em 8 de agosto de 1957;      3 – LÚCIA DE FÁTIMA FERREIRA, nascida em 16 de novembro de 1958, casada com Genildo de Freitas Melo, nascido em 19 de setembro de 1958 e falecido em 2 de setembro de 2005, filho de  João Severiano de Melo e de Francisca de Freitas Melo; 4 – CÉSAR GOMES FERREIRA, nascido em 21 de fevereiro de 1960;            5 – FÁBIO GOMES FERREIRA, nascido em 18 de março de 1961;        6 – MARIA APARECIDA GOMES FERREIRA, nascida em 25 de julho de 1962;       7 – PLÍNIO FERREIRA GOMES, nascido em 1º de setembro de 1963;      8 – RUBENS GOMES FERREIRA, nascido em 22  de novembro de  1964;      9 – MARIA DE LOURDES GOMES FERREIRA, nascida em 29 de julho de 1966.
   Sobrinho Ferreira casou-se em segundas núpcias em 17 de abril de 1969, com MARIA LENITA MAIA FERREIRA, natural de Apodi, nascida em 24 de março de 1944, filha de José Francisco Maia e Maria do Carmo Rodrigues. Desse consórcio com Lenita, houve os seguintes filhos: 1 – MARIA LENITA MAIA FERREIRA, nascida em 2 de março de 1970, casada com Zenóbio Rego Filho;            2 -  LENILSON MAIA FERREIRA, nascido em 23 de novembro de 1972, casado com Hélia Maria Delfino de 0liveira;         3 – LEODÉCIO MAIA FERREIRA, nascido em 13 de dezembro de 1973;            4 – FRANCISCO FERREIRA SOBRINHO JÚNIOR, nascido em 26 de novembro de 1979.
   Francisco Ferreira foi a maior liderança política de Severiano Melo, se elegendo prefeito de sua terra natal nas eleições de 15 de novembro de 1972, juntamente com sua companheira de chapa, dona Maria de Holanda Sobrinha – DONA MARIINHA, os quais tomaram posse em 31 de janeiro de 1973. Em 15 de novembro de 1988, ele se elegeu ao mandato de vice-prefeito na chapa encabeçada por Severiano Régis de Melo Neto, porém, teve  participação em todas as campanhas políticas de Severiano Melo, o qual no pleito eleitoral de 15 de novembro de 1982, juntamente com seu companheiro de chapa, o senhor Sebastião Holanda Cavalcanti fora, derrotados nas eleições municipais.
   Sobrinho Ferreira faleceu no dia 27 de novembro de 1996. 

RAIMUNDO FERREIRA


   RAIMUNDO FERREIRA, natural de Apodi, mas precisamente no sítio Boa Vista, nascido em 30 de setembro de 1903,  filho de  Pedro Ferreira e de Marculina Ferreira Pinto, filha de Antonio Rufino Souto . Casado com Raimunda de 0liveira, natural de Apodi, nascida em 21 de agosto de 1908, filha de João Canuto (primeiro professor de Severiano Melo) e de Maria Libânia Melo, falecida em 27 de março de 1986.
   Raimundo Ferreira, fundador da cachaça MALHADA VERMELHA, quando no ano de 1925 comprou uma propriedade ao senhor Francisco Ferreira Pinto, o qual era sócio com o Padre Benedito Basílio Alves. No ano de   1927, o mesmo  fundou a essa cachaça, cuja indústria foi continuada pelo seu filho Sobrinho Ferreira, a qual esteve presente em toda a região 0este Potiguar até o ano de 1996. Com a morte de Sobrinho Ferreira, a Malhada Vermelha fechou suas portas.
   Raimundo Ferreira também foi o responsável pela construção da Capela de São Francisco, no povoado de Malhada Vermelha, isso no ano de 1927. Portanto, a Malhada Vermelha só se desenvolveu quando Raimundo Ferreira e seu filho Sobrinho Ferreira estavam vivos, depois do desaparecimento dessas duas importantes pessoas, a Malhada Vermelha caiu na total decadência, em todos os sentidos.
   Raimundo Ferreira faleceu no dia18 de novembro de 1898.

LUIZ MANOEL DE OLIVEIRA FILHO


   LUIZ MANOEL, conhecido popularmente pela alcunha de ‘SEU BARRA’, natural de Apodi, mas precisamente no sítio Boa Vista, no dia 30 de julho de 1907, filho de Luiz Manoel de 0liveira e de Francisca Lauriana de 0liveira. Era casado com Margarida de 0liveira Melo, vulgo ‘ALZIRA’, natural de Apodi, nascida em 24 de junho de 1908, e falecida em 24 de dezembro de 1966 filha de Luiz  Herculano e de Maria da Conceição Barra. Desse consórcio nasceram 10 filho, mas apenas dois sobreviveram. Foram eles: ROSILDA BARRA DE OLIVEIRA, casada com Afonso Jardim Torres, natural de Itaú-RN, filho de Generoso Jardim Torres e de Maria Petronila da Conceição; e ROSELITA BARRA DE OLIVEIRA, nascida em 8 de fevereiro de 1935, casada com RAUL GENÉSIO TORRES, nascido em 30 de outubro de 1927.
   O senhor BARRA  foi o primeiro farmacêutico de Severiano Melo, dono de uma farmácia situada no povoado de Boa Vista, e consultava toda a população da região. “Abaixo de Deus, só Seu Barra salvava”.. Essa era a frase corriqueira na camada mais humilde da população das comunidades de Boa Vista, Melancias, Malhada Vermelha, Severiano Melo, Itaú e Rodolfo Fernandes, que o define muito bem o que o farmacêutico e homeopatia Luiz Manoel de 0liveira Filho representava para essa gente.
   Luiz Manoel ingressou na política no ano de 1954 quando foi nomeado prefeito interino do município de Itaú, por ato governamental do então governador Silvio Pedroza. Ele governou o município recém-criado no período de 11 de dezembro de 1954 a 31 de janeiro de 1955. Foi eleito vice-prefeito de Itaú no pleito eleitoral de 3 de outubro de 1959, na chapa encabeçada por Rui Bessa Nunes, o qual no período de 31 de janeiro de 1960 a 31 de janeiro de 1965 presidiu o Poder Legislativo itauense, tendo em vista que naquela época o vice automaticamente assumia a presidência do Legislativo.
   Luis Manoel faleceu em Severiano Melo no dia 19 de junho de 1975, aos 70 anos de idade, dos quais 50 dedicados à farmacologia  e a hemeopatia em nossa região.

JOÃO RÉGIS CAVALCANTE

JOÃO RÉGIS CAVALCANTE, natural de Apodi, nascido em  17 de maio de 1816, filho de Domingos Alves Ferreira (06/07/1759 – 20/09/1830) e de Maria Joana do Espírito Santo. Casou-se em primeiras núpcias com Isabel Joana de Jesus, natural de Apodi, nascida em 16 de junho de 1820 e falecida em 23 de agosto de 1865, filha Vicente Ferreira Pinto, filho de Alexandre Pinto Machado e de Joaquina Mariana de Jesus; e de Francisca Barbosa de Amorim. Em segundas núpcias com Maria Luiza da Silveira, filha de Luiz Soares da Silveira (21/6/1786 – 28//01/1850) e de Maria Benedicta Beltrão da Silveira, nascida em 11 de fevereiro de 1845 e falecida em 3 de março de 1903, filha do professor Joaquim Manoel Carneiro da Cunha Beltrão (1810 – 29/11/1892). João Régis no ano de 1892 construiu o açude  na povoação de Boa Vista, na época no município de Apodi e hoje, no de Severiano Melo. Ele faleceu no dia 21 de julho de 1899.

LUÍS SULPINO DA SILVEIRA


       LUÍS SULPINO , natural de Apodi, filho de José Sulpino Paes Botão (natural de Racho do Sangue, a família Diógenes).
   Luís Sulpino, abastado fazendeiro, era proprietário da fazenda denominada de PAU DE LEITE, à época encravada no território de Apodi, e hoje, no território de Severiano Melo. Era casado com Maria Luiza da Silveira, filha de Luiz Soares da Silveira e de  Maria Benedicta Beltrão da Silveira. Desse consórcio nasceram os seguintes filhos: MARIA LUIZA DA SILVEIRA FILHA, casou-se em primeiras núpcias com Cícero Ferreira Pinto, e casou-se em segundas núpcias com  José Galdino da Silva; Francisca da Silveira Leite (Dona Francisca de Chico Guarda); Aluízio Silveira; e Luís Sulpino da Silveira Filho, que foi prefeito nomeado de Apodi, no período de  27 de maio de 1945 a 28 de novembro de 1948.
   Luís Sulpino faleceu no dia  8 de setembro de 1934.

ADRIÃO BEZERRA DE MENEZES


   ADRIÃO BEZERRA, nascido na povoação de Malhada Vermelha no dia 15 de outubro de 1863, filho de Joaquim Bezerra de Menezes e de Maria 0límpia de Oliveira. Era casado com Francisca Noronha. Ele ocupou vários cargos eletivos, dentre os quais o de antigo Intendente Municipal em várias vezes legislaturas, no município de Apodi, como também exerceu o cargo de prefeito nomeado de Apodi, governando de  12 de novembro de 1935 a 2 de fevereiro de 1936, por ato governamental assinado pelo governador Rafael Gurjão Fernandes (24/10/1891 – 11/6/1952).  Foi delegado de polícia no município de Apodi no período de  1933 a 1935. Era genitor de Elisa Menezes, primeira professora de Malhada Vermelha no ano de 1928.
   Adrião Bezerra faleceu na noite do dia 12 de outubro de 1955, com 92 anos de idade.

SEBASTIÃO CELINO DE OLIVEIRA PINTO


SEBASTIÃO CELINO, nascido no sítio Foveiro, à época pertencente ao município de Apodi, e hoje, no de Severiano Melo, em 18 de junho de 1819. Era conhecido popularmente pela alcunha de CAPITÃ0  TATÃO DA PONTA”, filho de Vicente Ferreira Pinto  e de Francisca Barbosa de Amorim. Era casado com Josephina de 0liveira (falecida em 25/5/1869), com quem teve a seguinte prole: CLAUDINA MARIA DE OLIVEIRA, nascida em 5 de agosto de 1847, casou-se em 18 de agosto de 1865, com o coronel Antonio Ferreira Pinto (25/5/1835 – 4/8/1909), filho de Vicente Ferreira Pinto e Maria Clara Alves Ferreira Pinto; CORONEL LUIZ BENÍCIO DE OLIVEIRA PINTO (LUCAS DE TATÃO) – ESTE FOI O FUNDADOR DA POVOAÇÃO DE MALHADA VERMELHA EM 1880, O QUAL ERA DONO DE UMA GRANDE PROPRIEDADE RURAL -, nascido em no sítio Foveiro, Apodi-RN, no dia 18 de agosto de 1849 e faleceu em 25 de julho de 1919; SEBASTIÃO CELINO DE OLIVEIRA PINTO FILHO, nascido no sítio Foveiro, no dia 19 de junho de 1851, casado com Maria Amância Bezerra. JOÃO JÁZIMO DE OLIVEIRA PINTO, nascido em 26 de agosto de 1855, casado com Isabel Sabina (BEBELA DE JOÃO JÁZIMO). Foi deputado provincial em dois mandatos e Intendente Municipal de Apodi, no período de 1920/22. Faleceu em 30 de março de 1926.
   SEBASTIÃO CELINO foi uns dos 16 eleitores da Paróquia de Apodi, cujo cadastramento foi realizado por determinação do Imperador Dom Pedro II, em 1876. Câmara Cascudo em seu Livro ‘História da República no RN”, fez a observação de que o Capitão Sebastião Celino faltou à última sessão legislativa, como que por pressentimento da implantação da República no Brasil.  Foi também presidente da Intendência Municipal de Apodi. Faleceu em Apodi no dia 27 de julho de 1901.
.

ARISTIDES RÉGIS DE PAIVA


ARISTIDES RÉGIS , natural de Apodi-RN, nascido no sítio Passagem Limpa no dia 19 de agosto de  1913 e falecido em 10 de agosto de 1999. Era filho  caçula de uma prole de 10 irmãos filhos do patriarca Raimundo Régis de Paiva (16/5/1865 – 10/3/1942 e de Leonila Gomes de Paiva. Raimundo Régis casou-se Emília  Holanda Melo, natural de Apodi, nascida em 7 de setembro de 1913. filha de Antonio        Holanda Melo e de Amélia de Holanda Melo. Pai de dois filhos: Francisco de Assis Paiva, casado com Maria de Lourdes e Maria do Socorro Holanda Paiva.
Aristides Régis no dia 3 de outubro de 1962 se elegeu vereador pelo município de Itaú, com votos dos sítios Santo Antonio, Passagem Limpa e Condado.

JOÃO BATISTA DE MELO


JOÃO BATISTA , natural de Apodi, nascido em 8 de novembro de 1892 e falecido em 29 de junho de 1976, filho de João Régis de Melo e de Isabel Régis de Melo. Casou-se com sua prima legítima, Maria Regis de Melo (Mariinha), nascida em 23 de setembro de 1898 e faleceu em 22 de janeiro de 1974, filha de Severiano Regis de Melo e de Joana Maria Regis de Melo. Foi vereador pelo município de Apodi, eleito em 21 de março de 1948, representando a povoação de Bom Lugar, atual cidade de Severiano Melo.

BEVENUTO HOLANDA CAVALCANTE


   BEVENUTO HOLANDA ,  natural de Portalegre (1864 – 6/2/1932)), filho de Laurindo de Holanda Cavalcante  (23/9/1839) e de  Maria Holanda Vieira (5/11/1847 – 16/4/1936) esta filha de Umbelino Tomaz de Aquino e de Maria Holanda Cavalcante. Casado com LAURINDA HOLANDA CAVALCANTE, natural de Apodi, nascida em 16 de junho de 1880 e falecida em 5 de maio de 1936, filha de Vilatino de Holanda Cavalcante e de Salustiana de Holanda Cavalcante. Pai de três filhos: Rivardávia Holanda Cavalcante, que exerceu o mandato de vereador pelo município de Itaú.  Francisco Holanda Cavalcante, segundo prefeito constitucional de Apodi e primeiro prefeito constitucional do Itaú; e Maria Holanda Cavalcante, mãe do ex-prefeito de Severiano      Melo – Bevenuto Melo de Holanda Neto.  Bevenuto Holanda, seu nome encontra-se imortalizado  em homenagem a uma avenida na cidade de Severiano Melo.

LAURINDO DE HOLANDA CAVALCANTE


             LAURINDO DE HOLANDA CAVALCANTE (23/9/1839), filho de Josefa Holanda Cavalcante. O Senhor Bevenuto foi o construtor do casarão da fazenda Passagem Limpa no município de Severiano Melo, erguido no ano de 1855. Bevenuto descendente de holandês, foi o fundador do sítio Passagem Limpa, na época encravado no município e Apodi, cuja denominação se originou devido que ao passar pelo local onde foi erguido o casarão ele verificou que aquele rincão  se tratava de um lugar limpo, daí passou a comentar que iria construir uma casa na passagem limpa, ficando assim aquela bela comunidade chamada até os dias de hoje de Passagem Limpa. Esse casarão foi a primeira casa construída no município de Apodi, no ano de 1855, com 30 metros de comprimento, com 17 metros de largura e seis metros e meio de altura com paredes com 49 centímetros de largura, cujos tijolos com  47 centímetros de comprimento, 20 centímetros de largura e 15 centímetros de altura, Essa construção continua com a mesma arquitetura, apenas foi modificado o alpendre, o restante é a mesma de 1855.
   Em 20 de dezembro de 1863, Laurindo de Holanda fez parte da mesa eleitoral  do Apodi, no pleito eleitoral registrado em toda a Província potiguar para preenchimento de 22 vagas de deputados à Assembléia Provincial. Ele foi parte da histórica política apodiense, a prova disso foi que no ano de 1876 foi escolhido entre os 16 eleitores da Paróquia de Apodi para votar em Natal . Foi também membro da Intendência Municipal de Apodi, atual cargo de vereador.

JOÃO REGIS DE MELO


JOÃO  MELO,  vulgo Janjoca, natural de Apodi, nascido em 13 de julho de 1860, filho de José da Costa Melo e de Isabel Joaquina de Jesus. Casado com Isabel Joaquina Cavalcante, nascida em 19 de agosto de 1860  e falecida em 27 de setembro de 1943, filha de João Régis Cavalcante e de Maria Isabel
        No ano  seguinte, João Régis, irmão de Severiano Melo , construiu a terceira casa no sítio Bom Lugar, cuja obra foi terminada no dia 17 de agosto de 1913, ainda hoje existente, porém totalmente reformada, situada na Avenida Bevenuto Holanda, esquina com a Rua 7 de Setembro, pertencente a viúva de Raimundo Nonato,  este neto de  Janjoca, dona Antonia Graças Melo.
   Dos quatro irmão de Severiano Melo, apenas dois tiveram participações diretamente do processo histórico do município de Severiano Melo, que foram Vicente Régis de Melo e  Janjoca, tendo em vista que foram eles que construíram as três primeiras casas no então sítio Bom Lugar, atual cidade de Severiano Melo. Já os outros dois: Francisco Régis e João da Costa tiveram outros destinos, sendo que Chico Melo  fez história na região de Boa Vista, enquanto, Zezinho Melo foi o fundador do sítio Condado.
   João Melo faleceu no dia 9 de agosto de 1946.

VICENTE REGIS DE MELO, natural de Apodi, nascido em 9 de novembro de 1887, filho de José da Costa Melo e de Maria Joaquina de Jesus, casado com Joana Regis de Melo. Vicente Régis era irmão de Severiano Melo, este fundador do então povoado de Bom Lugar, atual cidade de Severiano Melo, no ano de 1910 construiu a segunda a segunda casa próxima a primeira casa construída pelo seu irmão Severiano Melo, ainda hoje existente, situada na Rua Bom Jesus, cuja casa possui dois sotes, duas grandes salas, três quatros, uma cozinha e um alpendre com 30 palmos de altura. Vicente Régis faleceu no dia 14 de outubro de 1946, com 69 anos de idade, de diabete, conforme certidão de óbito registrada no Livto de óbito do Cartório Ùnico, criado pela Lei nº 711, de 8 de novembro de 1928 e instalado em 31 de dezembro de 1934, cuja pesquisa foi autorizada por dona Maria Auxiliadora Maia de Andrade.


   VICENTE  MELO, natural de Apodi, nascido em 9 de novembro de 1887, filho de José da Costa Melo e de Maria Joaquina de Jesus, casado com Joana Regis de Melo. Vicente Régis era irmão de Severiano Melo, este fundador do então povoado de Bom Lugar, atual cidade de Severiano Melo, no ano de 1910 construiu a segunda a segunda casa próxima a primeira casa construída pelo seu irmão Severiano Melo, ainda hoje existente, situada na Rua Bom Jesus, cuja casa possui dois sotes, duas grandes salas, três quatros, uma cozinha e um alpendre com 30 palmos de altura.
   Vicente Régis faleceu no dia 14 de outubro de 1946, com 69 anos de idade, de diabete, conforme certidão de óbito registrada no Livto de óbito do Cartório Ùnico, criado pela Lei nº 711, de 8 de novembro de 1928 e instalado em  31 de dezembro de 1934, cuja pesquisa foi autorizada por dona Maria Auxiliadora Maia de Andrade., natural de Apodi, nascido em 9 de novembro de 1887, filho de José da Costa Melo e de Maria Joaquina de Jesus, casado com Joana Regis de Melo. Vicente Régis era irmão de Severiano Melo, este fundador do então povoado de Bom Lugar, atual cidade de Severiano Melo, no ano de 1910 construiu a segunda a segunda casa próxima a primeira casa construída pelo seu irmão Severiano Melo, ainda hoje existente, situada na Rua Bom Jesus, cuja casa possui dois sotes, duas grandes salas, três quatros, uma cozinha e um alpendre com 30 palmos de altura.
   Vicente Régis faleceu no dia 14 de outubro de 1946, com 69 anos de idade, de diabete, conforme certidão de óbito registrada no Livto de óbito do Cartório Ùnico, criado pela Lei nº 711, de 8 de novembro de 1928 e instalado em  31 de dezembro de 1934, cuja pesquisa foi autorizada por dona Maria Auxiliadora Maia de Andrade.

SEVERIANO REGIS DE MELO


   SEVERIANO  MELO, natural de Apodi, nascido em 8 de novembro de 1871, filho de José da Costa Melo (7/11/1836 – 28/3/1928) e Isabel Joaquina de Jesus (9/3/1840 – 23/6/1922). Casado com Joana Maria Régis de Melo, natural de Apodi, nascida em  1879 e  falecida em  01 de maio de 1858.
   Severiano Melo, o fundador do então povoado de Bom Lugar, em 1901, atual cidade de Severiano Melo, criada em 3 de dezembro de 1963.  Ele, com sua persistência e seu idealismo fez de Bom Lugar uma terra fértil de homens fortes, juntamente com seus 4 irmãos: Vicente Régis de Melo, João Régis de Melo, Francisco Régis de Melo e José da Costa, compraram a propriedade a propriedade  Bom Lugar pertencente ao senhor Raimundo Nonato Fernandes. No ano de 1911, Severiano Melo construiu a primeira casa de alvenaria nas terras de Bom Lugar, ainda hoje existente, situada na Rua Castelo Branco, nº 137, pertencente a dona Francisca de Freitas Melo, dona Tiquinha, viúva de João Severiano de Melo, primeira pessoa nascida nessa casa, no dia 16 de outubro de 1911. Severiano Melo no dia 6 de setembro de 1926 foi eleito para o cargo de intendente municipal de Apodi (atual cargo de vereador), tendo sido reeleito no pleito de 2 de setembro de 1928.
   Faleceu no dia 26 de janeiro de 1946, sepultado no Cemitério de Itaú. Foi o primeiro sepultado da região feita em um caixão de madeira. Antes os sepultamentos eram realizados em rede.

RAIMUNDO NONATO FERREIRA DA MOTA


Raimundo Nonato Ferreira da Mota, Historiador apodiense. Nasceu na fazenda Santa Cruz, do município de Apodi, no dia 30 de Junho de 1866. Segundo filho do casal José da Mota Ferreira Zuza e Emilia Anatildes Fernandes Bonavides. Casou-se com Francisca Praxedes Fernandes Mota. Desse casamento nasceram treze filhos.
Aos sete anos de idade iniciou seus estudos, freqüentando a escola particular do seu parente Luiz Antônio Fernandes.
Em abril de 1878 seguiu em companhia dos seus pais para Pernambuco, onde desejava aprimorar seus conhecimentos. Ali chegando, passou a residir na vila de Ipojuca, ocasião em que começou a freqüentar escolas públicas, estudando português, história, geografia e aritmética etc., adquirindo bons conhecimentos dessas matérias. Revelando grande inteligência, preparava-se Nonato Mota para prestar exames em Recife a fim de ingressa em cursos ais elevados. A caminho daquela cidade, foi acometido de moléstia que o prostrou ao leito por vários meses, retirando-lhe todas esperanças, obrigado que foi a retornar a sua terra natal, a conselho médico, aqui chegando em fins de 1882. Foi político militante em Apodi, formando ao lado do partido liberal, do qual foi um dos organizadores.
Escreveu interessante trabalho sobre a história do município, intitulado “notas sobre a Ribeira do Apodi”, em que se acham relacionados fatos e acontecimentos do passado, informações, transcrição de documentos, sendo bastante útil para estudos, conforme refere o escritor Raimundo Nonato da Silva.
O trabalho do historiador apodiense foi publicado na Revista do Instituo Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, volumes XVIII e XIX, Números 1 e 2, 1920 – 1921.
Nonato Mota faleceu no dia 10 de outubro de 1936.
FONTE - VÁLTER DE BRITO GUERRA - APODI, SUA HISTÓRIA

MANOEL ANTÔNIO DE OLIVEIRA CORIOLANO


MANOEL CORIOLANO, natural de Apodi, 05/1/1835   -  “Os índios Tupis chamavam sanharó, sonharão, a uma abelha preta, muito mordaz. No município do Apodi, no Rio Grande do Norte, há um sítio “sonhorom” que é apenas deturpação desse nome. Aí residia Manoel Gomes do Rego e sua mulher D. Izabel Maria de Jesus. Manoel Antônio de Oliveira Coriolano nasceu no sítio sonharão, no dia 5 de janeiro de 1835. faleceu na cidade do Apodi a 28 de dezembro de 1922. durante meio século seu nome correu todo oeste da província e estado, era cronista do sertão, o historiador inédito mas diário, o sabedor das tradições, o homem que tudo observava, retirada e anotava nos cadernos de papel almoço, tornados famosos nas “ribeiras” como as actas diurnas do desenvolvimento social, folclórico, político e religiosos da região. Pertenceu a uma geração desaparecida de anotadores desinteressados pela divulgação dos ensaios. Conheci ainda, no alto sertão, esses velhos fazendeiros que registravam todos os acontecimentos conhecidos, as datas e os detalhes, formando, desta sorte, os fundamentos honestos de uma história verídica, como testificada pelas notas apanhadas no calor dos sucessos. Manoel Antônio de Oliveira Coriolano pertenceu a essa raça que se extinguiu quase inteiramente e jamais se renovará. Escreveu, com letra graúda e lançada, quatro livros inteiros sobre a historia do Apodi, a freguesia de São João Batista das Várzeas do Apodi, terra nevoenta de tradições sugestivas, núcleo irradiante de fazendas, zona que se partiu para criar municípios, como numa divisão fecunda de polipeiros. Não é possível caminhar –se na história do oeste norte-rio-grandense sem consultar Manoel Antônio de Oliveira Coriolano, seja qual for o aspecto fixado. Era esse Cicerone do Apodi, como lho cognominava “MISCELÂNIA”, jornalismo do Natal, em seu número 5-12-1898 – “Eis em ligeiros traços, a vida de um destes homens cuja inteligência excepcional perde-se no recôncavo culto do alto sertão, onde ouve apenas o mugir da vaca e o relinchar do cavalo”.
Manoel Antônio de Oliveira Coriolano exerceu cargos locais, na promotoria pública, eleitor de paróquia, especialmente na advocacia, onde se afirmou um legitimo tribuno do povo, aceitando causa que afetavam interesses prestigiosos, não recusando fazer acusações que se tornaram citadas como atitudes de suma coragem pessoal.
Uma vida áspera, difícil e cheia de episódios atordoadores criança, não podendo estudar, vinha espetar na estrada os viajantes, munido de papel e tinta, suplicando que traçassem para ele os traslados. Aprendeu a ler sem mestre e, tendo conseguido um livro, deleitava-se de tal forma com a leitura que, mandado a devorassem, absorvido nas folhas impressas. Ildefonso Alves Maia, mestre-escola em outubro de 1844, ensinou alguns princípios. Mudando-se para a Vila em 1855, Coriolano estudou com o padre Florêncio Gomes de Oliveira rudimentos de curiosidade, daí em diante é um autodidata, sedento de curiosidade, revolvendo arquivos, tendo de memória livros inteiros, sabendo de cor centenas de registros de nascimento, casamento e óbitos das famílias tradicionais no Apodi. Chegou a ensinar Português e Direito Penal no Apodi. Durante a guerra do Paraguai foi recrutado. Era conservador e o delegado de policia figurava no Partido Liberal. Depois de dois meses de luta, Coriolano voltou, livre, com as desculpas do presidente Olinto Meira, cioso dos códigos e distribuidor de justiças. Rara seria a eleição tumultuosa em que Coriolano não ditasse de indignação aos furtos das urnas, falsificação de indignação aos furtos das urnas, falsificação das atas ou sonegação de votos, expressões antigas, e teimosas do mecanismo eleitoral.
FONTE - VÁLTER DE BRITO GUERRA - APODI, SUA HISTÓRIA

PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS
COM 17 BLOGS E 1483 LINKS

Acerca de mim

A minha foto
SOU TRICOLOR DE CORAÇÃO, BARAÚNAS, O MAIS QUERIDO DE MOSSORÓ

STPM JOTA MARIA

STPM JOTA MARIA
TRICOLOR DE CORAÇÃO

Arquivo do blogue